Sobre a Associação de Mulheres de Ponte Nova (AMPN)

A Associação de Mulheres de Ponte Nova se compõe de 300 mulheres pertencentes às comunidades mais vulneráveis do bairro de Ponte Nova, com sua sede social em Bafatá (Guiné-Bissau).

A maioria dessas mulheres é da etnia Soninquê, com idade compreendida entre 20 e 60 anos. As principais atividades da Associação estão vinculadas ao tingimento de tecidos e sua comercialização.

Cultura soninquê

Através da compra dos produtos se contribui à divulgação, promoção e preservação de uma das culturas tradicionais africanas mais enraizadas na África Ocidental, sobretudo nas comunidades Soninquês. Através dessa prática tradicional se assegura a transmissão e a continuidade de conhecimentos culturais às novas gerações. As mulheres Soninquês são tintureiras de tecidos por excelência e esta atividade faz parte da cultura intrínseca dos Soninquês, etnia que subsistiu em diferentes momentos históricos, durante os impérios egípcios, Songhai e do Mali, especialmente em áreas geográficas hoje correspondentes a Nigéria, Togo, Benin, Burkina Faso, Mali, Guiné, Senegal, Gâmbia e Guiné-Bissau.

Desde crianças, essas mulheres começam a aprender todos os passos do tingimento e comercialização, fazendo parte dos rituais de iniciação sob o aspecto cultural.

Produto social

Através da compra dos tecidos e produtos diversificados se contribui para um incremento de ingressos econômicos das mulheres da Associação de Ponte Nova, aumentando sua autonomia econômica e participação no apoio à família, à saúde e à educação das crianças. Esse incremento de recursos das mulheres também contribui à igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, destacando o direito à propriedade e a participação e o empoderamento das mulheres de Guiné-Bissau, sobretudo para mudar a percepção sobre as mulheres, passando de uma imagem de donas de casa com função procriadora para uma imagem de mulheres empreendedoras, o que facilitaria sua participação e influência na tomada de decisões no lar, na comunidade e na região. Finalmente, o projeto visa contribuir para a coesão social em torno de atividades culturais e produtivas, o que se tornará uma referência para a ação e participação a nível nacional.

RSC – Responsabilidade Social Corporativa

Oferecemos através da compra de nossos tecidos e produtos a contribuição ativa e voluntária para o melhoramento social, econômico e ambiental das empresas, com o objetivo de melhorar sua situação competitiva, valorativa e seu valor agregado.

Depoimentos

Por que escolher-nos

Panos marca Tingidos da Associação de Mulheres de Nova Ponte oferece design têxtil único e artesanal, são obras de arte e não há idêntico a outro pano, são peças únicas.

É têxteis em estilo étnico que também suporta Divulgação, Promoção e Preservação de UMA das Maïs culturas africanas enraizadas na Tradicionais África Ocidental, os soninquês.

Oferecer valor social e Responsabilidade Social Empresarial (RSE) para nossos clientes.

Tintura História Panhos

 

Bairro Ponte Nova, na cidade de Bafatá é o lugar histórico na prática tradicional de tingimento de tecidos na Guiné-Bissau.

1943-1990

Esta tradição começou em 1943 e teve o seu declínio em 1990, devido à ruptura do mercado interno da matéria-prima.

1970-1986

Entre 1970-1986, o distrito de Ponte Nova foi, sem dúvida, o maior centro de artesanato de tecidos de corante na sub-região. Traders de países vizinhos veio a adquirir grandes quantidades para abastecer os seus mercados.

2015

Actualmente, a actividade de tecido corante é a principal fonte de famílias de renda Soninkés, especialmente as mulheres, porque é uma parte intrínseca da cultura e à iniciação e mulheres.

Uso de cookies

Esta web utiliza "cookies" propias y de terceros para ofrecerte una mejor experiencia y servicio. Al navegar o utilizar nuestros servicios, aceptas el uso que hacemos de las "cookies". Sin embargo, puedes cambiar la configuración de "cookies" en cualquier momento.